sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Calúnias...


(Clique na imagem para ver a matéria completa)

Daqui a pouco vão dizer que Cocaína, LSD e Coca-Cola são drogas também...

Clássicos de sexta

Sapore di sale

Sucesso na voz dos profissionais de karaokê (Aqueles caras que só cantam músicas italianas, segurando um copo de Campari), Sapore di Sale é hit absoluto de Gino Paoli, e conta a história de um amor de verão que não subiu a serra. Pelo menos eu acho.

Musa da Semana

Rebecca Romijn (ex-Stamos)


Para quem não sabe, Rebecca é a boazuda por trás de toda aquela tinta azul da Mística, nos filmes dos X-Men. Como toda atriz de talento, ela começou sua carreira como modelo, para conquistar as telas do mundo todo.
Além dos 3 filmes da turma de mutantes, ela também trabalhou na adaptação de O Justiceiro e teve papel de destaque em Femme Fatale, onde contracena com o sortudo Antonio Banderas.





Just let your soooooul glo, baby

Outro dia passou "Um Príncipe em Nova Iorque" na Sessão da Tarde. Se fosse feriado e eu estivesse em casa, os putos passariam algum com o Padre Marcelo Rossi.
Enfim, não vou falar sobre o filme, que conta com Eddie Murphy e Arsenio Hall desempenhando vários papéis durante o longa, com destaque para a cena de apresentação da banda Chocolate Sensual, um misto de Little Richards e James Brown, quero falar sobre Soul Glo.

É a cara do Luis Caldas

Soul Glo era aquela meleca que o Eriq La Salle, o adversário de Murphy no filme, ficava passando no cabelo para manter o penteado Soul molhadinho. E a certa altura do filme passa esse comercial ridículo de tão bom.
Aqui, aqui e aqui, você pode ver diferentes versões para essa maravilha. O primeiro até parece o Acerola, de Cidade dos Homens.


quinta-feira, 29 de novembro de 2007

"Who let the dogs out?"

Novo clipe do Snoop Dog. Intencionalmente tosco, lembra muito o molvanês Zlad. Mas também, o que a gente poderia esperar de um cara que montou uma produtora de filme pornô na própria casa?


"Kitsch" é a palavra do dia

Graças ao Papel Pop

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Como matar um coelho de chocolate



Não lembro onde vi esse vídeo, mas ele me fez lembrar do Bunny Suicides, clica na figura pra ver mais.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Top 10

As listas de Top 10 pipocam diariamente pelas esquinas da internet com assuntos dos mais diversos. É tanta listinha que eu já estou de saco cheio de tanto esbarrar nelas, mas devo confessar que algumas são bem interessantes, e é por isso que também entrei na onda e resolvi criar o meu, o seu, o nosso...

Top 10 de listas de Top 10.

10. Top 10 Filmes Mais Machos
Excelente lista de filmes explodindo de tanta testosterona, mas com algumas falhas. Como é que puderam esquecer “Comando para Matar”?

9. Top 10 Presentes que todo homem gostaria de ganhar
Assim como todo Top 10 que preza tem um tópico inútil, esse aí eu só coloquei pra encher lingüiça mesmo, e completar o time.

8. Top 10 Filmes que ensinam valiosas lições
Para quem não entendeu a moral da história.

7. Top 10 Carros mais feios do Brasil
Sempre achei o Gurgel feinho, mas sacanearam ao colocar o Chevette tubarão na lista.

6. Top 10 Maiores mascotes da cultura pop
Listinha chata, um pouco óbvia, mas interessante.

5. Top 10 Pessoas mais modificadas da atualidade
Como tem nêgo ridículo nesse mundo. Tem um ali que parece com um muro todo pichado que tem perto de casa. Um verdadeiro festival de bizarrices, com suas tatuagens e piercings.

4. Top 10 Desenhos politicamente incorretos
Lembraram de uns bons e, como sempre, Simpsons está presente.

3. Top 10 Desordens mentais mais bizarras
Cacilda, não sabia que tinha tanto tipo de loucura assim. Algumas delas têm uns nomes bem bonitinhos.

2. Top 10 Grandes Sagas do Cinema
Boa lista. Conseguiram reunir verdadeiros clássicos do cinema. Só senti falta do Charles Bronson e a sua saga de vingança em Desejo de Matar.

1. Top 10 Mutações
Na verdade esse não é um Top 10, mas a seleção é muito caprichada, e é tanta desgraceira que merecia figurar aqui e ser a número 1, a the best of. “Go ahead, punk”


O gênio.



segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Pede pra sair, porra

Cobra entrou para o Guiness como o filme com o maior número de frases de efeito em uma cena. Só ela já vale pelo filme todo.
Com seu indefectível palito de fósforos de cantinho na boca, e um Ray-Ban espelhado, Cobretti mal entra em cena para “negociar” com o meliante, e já lança mão de seu arsenal verbal contra a bandidagem.

É nessas horas que vejo que o Capitão Nascimento é só um aspira fanfarrão.

domingo, 25 de novembro de 2007

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Do Blog para o mundo!

Nosso blog está fazendo sucesso entre os alunos da PUCPR. Olhem o que nós achamos no laboratório de Artes Gráficas, usado pelos alunos de Desenho Industrial:



Esse é um trabalho aonde os alunos devem fazer um desenho e fazer serigrafia em tecido ou papel com esse desenho criado. Conversando com Tião, um amigo do trecho funcionário do Laboratório, descobrimos que eles tiveram essa idéia depois de entrar no nosso blog.

Alguns engraçadinhos (leia-se EU, o Tião e mais o Jão) colocaram o link para o blog na área de favoritos dos macintoshs do laboratório de Programação Visual, e o pessoal acabou entrando e gostando da idéia.

Assim, os alunos André (Nego) Busetti e Guilherme (Folla)dor resolveram fazer seu trabalho de serigrafia com a idéia do "É Uma Cilada, Bino", e saiu essa preciosidade mostrada aí em cima.

Até que ficou bunitin, né?

A Tribuna do Paraná e suas capas

O que aprendemos com a Tribuna hoje:
  • Elvis morreu;
  • Truco é um "esporte" realmente perigoso;
  • Cicarelli fez escola;
  • E "não basta um pau firme para segurar uma mulher", como dizia a máxima do velho Adão, pai do Analista de Bagé.

Um exemplo de vida

Jack Nicholson é um verdadeiro exemplo de vida. Mesmo sendo um astro multimilionário e vencedor de vários Oscars, o velho Jack ainda arruma tempo para obras de caridade.

Olha só ele divertindo algumas crianças em um orfanato de Beverly Hills. É com exemplos assim que vemos que o mundo ainda tem jeito.
Obrigado, Jack.

foto: Pop Life

"And the Oscar goes to...."

Pelo que entendi, “Walk Hard” é uma sátira a “Walk the Line”, filme que conta a história de Johnny Cash, e que teve seu título alterado pouco antes de seu lançamento, para “Johnny e June”.

Ou seja, é filme pra Oscar véi, e pela ficha corrida dos realizadores, ele deve ser, no mínimo, engraçado.
Ah, notem a participação de Jack White como Elvis Presley

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

É uma cilada, Bino!

A que ponto chega o vício da jogatina. O cara teve a capacidade de apostar o toba num jogo de truco.... e perdeu.



O animal tava com o mole na mão e acabou se fodendo com a espada do outro.

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

"Quem é o mestre?"

Mais que um "crássico" da Sessão da Tarde, o "Último Dragão" é uma história de perseverança, onde o herói ultrapassa todas as barreiras impostas na sua busca por redenção. Que nada, o filme é tosco mesmo e cheio de pancadaria, mas o negócio aqui é sério e teremos uma análise rasa desse marco na história do cinema.

Pois bem, o filme narra a história de Bruce Leeroy (trocadilho com a sutileza de um mastodonte), um aspirante a Bruce Lee, mas como o filme foi produzido por Berry Gordon, da Motown, nosso herói é negão (afromericano para os mais corretos). Treinado por um mestre chinês que, se não me engano, mora num barco, nosso herói já demonstra todas as suas habilidades no começo da película quebrando ao meio uma flecha lançada pelo seu "mestle".
Após essa exibição de seus dotes na arte Shaolin, Leeroy vai ao cinema assistir, é claro, a um filme do Bruce Lee. Só pra humilhar Daniel Sam, que pega moscas com o pauzinho, Leeroy come pipoca com hashi. Quer coisa mais blasé? É lá que ele encontra pela primeira vez seu Nêmesis, Sho'nuff, o Shogun do Harlem. Mal-encarado até o último fio de black power, e com um visual style bagarai, Sho'nuff deve ter um puta complexo de inferioridade, pois a toda hora pergunta "quem é o mestre?" só pra sua patota, que parece ter saído do clipe de Bad do Michael Jackson, responder berrando "Sho'nuff". O tempo fecha ali mesmo, e assim vai ao longa do filme.

Gracinha

Uma das cenas mais marcantes dos anos 80 é aquela em que o nosso Bruce Lee do Harlem segura uma bala (a de revólver, pombas) com os dentes. Chuck Norris faz isso com a barba. E isso após uma luta cheia de pirotecnia, coisa pra George Lucas babar de inveja.



Outra curiosidade é a presença de dois atores renomados, pelo menos hoje em dia, no elenco: Mike Star e William H. Macy.
Agora, se tu quer ver a maior concentração de tosquice por frame quadrado, assista a cena da discoteca.

Azulivre

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Musa da Semana

Flávia Alessandra


Depois de aparecer sem calcinha em uma festa, e ainda deixar ser fotografada, nossa Musa da Semana mostra todo o seu lado selvagem em uma entrevista para uma revista de fofocas.

Flavinha dispara: "Acho que Nelson Rodrigues tinha razão quando dizia que toda mulher deve ser uma dama na rua e uma p... na cama".

Vai ver é por isso que ela está fazendo papel de enfermeira de dia, e de Stripper de noite, em sua nova novela...

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Romero Britto

Carro estilizado pelo artista brasileiro. Queria ver era um Fenemê com uma pintura dessas.
Só falta esse cara lançar uma linha de camisinha com seus desenhos.

Fonte G1

1.000 Visitas

Agradecemos a todos que visitam esse espaço e Papai do céu por ter inventado o botão F5.

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Musa da semana

Nicole Kidman

Nossa musa da semana já comeu o pão que o Tom Cruise amassou. Mas conseguiu sair da aba do ex-marido, ganhou um Oscar e casou com um cantor country alcoólatra. Tem gosto pra tudo.

Esta semana, a branquelinnha declarou, ou melhor, garantiu que nunca fez plástica, e que para ficar bonitona usa apenas protetor solar (fator 2000) e não fuma. E quem sou eu pra duvidar dela.
Abaixo uma cena do filme Terror a Bordo (Dead Calm, 1989), um clássico do Domingo Maior.


O selvagem da monareta

Mickey Rourke, por mais incrível que pareça, já foi uma das maiores promessas de Hollywood. Já trabalhou com diretores geniais, contracenou com grandes astros e pegou muita mulé nos seus tempos áureos.
Mas o cara não conseguiu segurar a carreira (a de ator, nas outras ele deve mandar bem ainda) e fez muito lixo, muita merda e plásticas, como vocês podem ver nas fotos abaixo.

Ê glamour

A foto acima é da ficha policial de Rourke, que foi preso por dirigir embriagado a sua vespa (uma honda bizz old school). O animal já foi motoqueiro casca grossa em Harley Davidson and Marlboro Man, e participou de o Selvagem da Motocicleta e, vejam só a ironia, foi preso pilotando uma vespa e mamado.

Outra coisa que chama a atenção é essa nova tendência entre as estrelas de cinema.

"É pra Caras?"

Daqui a pouco tem nêgo copiando o penteado e o vestuário lançados pela moçada de Hollywood.

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Clássicos de Sexta (na quinta)!

Irreverente é o termo mais comum para uma criatura como esta. Ademir Rodrigues, cuja alcunha denomina-se Ovelha, é um cantor pra nenhum roqueiro botar defeito. Recebeu esse apelido do saudoso Chacrinha, devido as suas longas madeixas louras e cacheadas, lembrando o pêlo de uma ovelha. Cantor profissional desde 1980, atingiu fama e fortuna no mesmo ano, data do lançamento de seu hit: Te amo, que mais posso dizer? cujo título, ficou durante 4 anos nas paradas de sucesso. Ganhou ínumeros troféus e discos de ouro, vendendo mais de 4 milhões de discos, inclusive em outros países. Em 83, quando estava no auge, ficou pelado durante uma apresentação em protesto pela falta de pagamento do seu cachê. Depois disso, suas apresentações começaram a ser canceladas, e assim a vida de Ovelha caiu em desatino.




Atualmente faz shows por bares e restaurantes, e é claro, em baile de debutantes. Esta última, sua especialidade.
Este vídeo mostra que Ovelha ainda continua firme e forte com sua pegada rock'n'roll! Reparem que ele entra no palco todo ouriçado, parecendo uma criança! E no final, caros leitores, tudo acaba em rock paulera!

Fonte: Wikipédia

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Vou pedir um desses pra Papai noel

Desde que me livrei do meu Master System não sentia tanta vontade de ter um videogame. E tudo por causa de um jogo, o Rock Band do XBOX 360 e PS3.
O jogo é, basicamente, uma versão do Guitar Hero, mas muito mais tesão, pois você pode jogar como se fosse uma banda de verdade. Demais!
Tem uma guitarra, um baixo, uma bateria e um microfone, e todo mundo joga juntinho, como se fosse uma banda de verdade. Até mesmo os Killers já apareceram tocando isso no clipe de "Read my Mind".

O negócio lembra aquelas máquinas que a molecada dança conforme os passos que aparecem na tela, um sucesso no Japão.
Abaixo dois vídeos demonstrando o jogo.

Welcome to the jungle


Paranoid




O feliz proprietário desse jogo pode montar seu personagem. É, tipo um Second Life, mas rock´n roll. Dá até pra escolher a atitude do sujeito, que pode ser mais metal ou punk, só espero que não tenha emo.

Ressaca nunca mais

O final de mais um ano está aí e, com ele, as festas da firma, reunião de família, amigo secreto, galera do poker. Enfim, motivos, ou desculpas, pra comemorar é que não faltam. Por isso trago a todos um presente muito útil para esse período ébrio. O Kit ressaca.

Ele vem com máscara para dormir, protetor auricular, saco de vômito, espelho, curativos para possíveis tombos da noite anterior, um livreto com dicas de receitas para melhorar mais depressa, desculpas para faltar ao trabalho e uma lista de cachaceiros famosos. Tudo isso numa embalagem com formato de lata de cerveja.

copiei daqui

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Hora do jabá

No último final de semana, enquanto curtia minha depressão dominical assistindo Fantástico, algo chamou minha atenção durante os Lances de Domingo, um carrinho que "morreu" no meio de campo durante o jogo Sport X Palmeiras. Tudo bem, acontece, mas o que torna essa história engraçada é que o carrinho da maca era patrocinado pela Moura.

força na peruca

E não é que os caras são rápidos. Ao entrar no site da empresa dá pra notar que a assessoria de imprensa da Moura trabalha rápido, pois um pop-up com uma nota de esclarecimento explicando o ocorrido já surge na tela logo de cara. Resumindo, eles dizem que a reportagem usou tom de brincadeira para evidenciar um problema que, após a visita de um dos técnicos da empresa ao estádio do Sport, ficou provado que não existiu. A nota diz que o problema estava no pedal do acelerador, pois o carrinho-maca funcionou normalmente após sair de campo, o que não foi mostrado na TV.



Bacana
os dois lances que aconteceram aqui:
  1. A possível falha na bateria de um carrinho patrocinado por uma empresa especializada em.... baterias. Isso é irônico pra dedéu.
  2. A velocidade com que a Assessoria de Imprensa cuidou do caso, pelo menos no site da empresa, em respeito aos seus clientes e parceiros. Estão de parabéns.

Momento fofura

Inspirado por um post do Véio Rosa, com uma apresentação de Paul Potts, no programa Britain´s Got Talent, detonando com uma versão de Nessun Dorma (a interpretação de Pavarotti é de arrepiar)
trago a vocês mais um Momento Fofura, dessa vez com Connie Talbot.
Essa inglesinha é, como diria a Hebe, uma gracinha e dona de um sorriso arrebatador.

Somewhere Over the Rainbow

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Quem lembra?

Alguém aí lembra da TV Philips Discoverer, essa coisa medonha que enfeitava muitas salas nos anos 80?

coisa linda

Ela tinha o formato de um capacete, controle remoto modernoso e antena embutida. Sensacional, mas acho que ficaria melhor como um aquário.
No último leilão do Mercado Livre, alguém levou essa peça rara por R$680,00. Pelamordedeus, é muito saudosismo pro meu gosto, mas se você se interessou por essa belezinha clica aqui e seja feliz.

Tim Festival 2007 - cobertura (in)completa

Sei que estou atrasado, e que a Sula Miranda não ia tocar nessa bagaça, mas não poderia perder a chance de deixar aqui as minhas impressões sobre o festival.
A noite parecia ser calma, trânsito tranqüilo perto da Pedreira Paulo Leminski, uma beleza, mas estávamos enganados. A fila, que aparentemente era pequena, terminava atrás do palco, pelo menos acho que o palco era ali. Após 40 minutos, cronometrados, conseguimos entrar. Na revista o filho da puta do segurança arregaça com meu maço de cigarros em busca de maconha, mas tá tudo beleza, a festa estava apenas começando.
Hot Chips. Não vi.
A Björk ainda está no palco mandando o seu som. Gostei da última música, mas o melhor foram os efeitos utilizados através de uma mesa de som que, dependendo da posição de umas peças emite diferentes frequências. Bacana.


O público é aquela mistura bonita. Tinha de tudo. Menina beijando menina, menino beijando menino. Acho que também vi menino beijando menina, não tenho certeza.
A molecada do Arctic Monkeys (poderiam ser patrocinados pela Acnase), foram tão rápidos que se alguém fosse dar uma mijada e comprar uma cervejinha, perderia metade do show. Som bacana, acelerado e pesado. Os caras mandaram ver, e saíram sem nem tocar um bis.
O melhor show da noite. Os Killers começam com um vídeo que já prepara a galera, o som vai crescendo e os caras entram fodendo com tudo. Apesar das aparências, o batera era o único fantasiado para o Halloween na Pedreira.
Os caras têm domínio total do palco e do público. E dá-lhe Brandon Flowers incentivando o público a bater palminha. Tudo bem, o cara é de las Vegas, ele pode ser brega assim. Em alguns momentos ele parece querer ser o Freddy Mercury, mas vai ter que comer muito feijão com arroz e adubar muito o bigode pra chegar lá.
Abaixo as duas melhores músicas do show, na minha opinião, feitas por algumas das centenas de câmeras e celulares que inundavam a Pedreira. Porra, não vi um isqueiro aceso, mas celular....

Mr. Brightside

Essa eles soltaram lá pelo meio da apresentação. O público já começa a pular alucinado nos primeiros acordes de guitarra, e segue ao longo da letra que versa sobre ciúmes. John Lennon fez melhor, mas essa aí também é tesão.


"...Turning through sick lullaby"


All These Things That I've Done

Pra fechar a noite com chave de ouro, e coroá-los como o melhor show do festival.


"I got soul, but I'm not a soldier"


sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Musa da Semana

Marilyn Monroe

Bem, como hoje é dia de finados, nossa Musa da Semana é alguém que partiu dessa pra melhor.


Abaixo, temos o vídeo com o Happy Birthday mais obsceno que alguém já cantou, e ainda por cima para o Presidente Kennedy, uma espécie de Bill Clinton dos anos 60


quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Clássicos da sexta psicológica

Take on me - A-ha

Sensacional. Acho que essa palavra define bem o clipe dessa música. Não tenho idéia de como fizeram, mas tenho certeza que deu um trabalho do cão. Ainda mais considerando a época em que foi elaborado, quando o uso de computadores era extremamente limitado, e a galera fazia tudo no braço mesmo.
Ainda hoje ele é atual e me arrisco a dizer que é uma grande influência, como podemso ver nessa cena de Family Guy.